segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Dia 56/365

A CAMINHADA


Por uma série de contratempos, a começar pela virada de noite na véspera jogando "Quest", acordei tardíssimo e adiei a caminhada do dia para o período vespertino (quase noturno), com os voluntários da vez: A advogata Anã Karla (que nem é tão baixinha assim, mas ganhou esta alcunha para ser diferenciada de uma homônima, presente no ano-novo d'Os Insaciáveis) e seu namorado, o jornalista/bancário/bacharel em Direito João Peçonha Victor Rocha Ofídico Leandro (que já foi voluntário no Dia 10), com participação especial da dupla dinâmica e ativa, o executivo Carlos Cadoca Rocha e o psicólogo (UÊPAAA) Jorge Sobrinho, que apesar do sobrenome está mais para o "primo" de Cadoca. Mhuahahahaha.
Desbravamos 6,5 km pelas areias fofas de uma praia quase sem faixa de terra, por causa da maré alta. Mesmo assim, os venenos de João Peçonha compensaram a falta de conforto para os meus pés. Falamos basicamente da Família Bullying Feliz, com nossa metralhadora giratória que não respeitava nem cabelos brancos, nem deficiências, tampouco gênero e poder aquisitivo. Anã Karla gargalhava sem acreditar no poderio bélico do nosso arsenal, digo, no de João Peçonha.   
Filho de peixe, Peçonha leva a hipocondria muito a sério, razão pela qual ficou com frescura para atravessar um pequeno e limpo riacho que desaguava no mar, justamente no nosso caminho. Ele arriscou uma corrida e tentou dar uma de João do Pulo, para ter o mínimo contato com a esquitossomose esperada. 
Já com Jorge levei um papo-cabeça sobre doutorado, méritos de uma boa formação, oportunidades de trabalho, geração Y, manchas de tinta no papel para um diagnóstico psicológico etc e tal. Cadoca, enferrujado na prática da caminhada, pensava somente em chegar de volta ao hotel no qual estava hospedado. E nem saiu na foto, bichinho.
Atividade física concluída com sucesso! 6,5 km numa paradisíaca praia alagoana.
Feliz ano novo!!!!!



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


Tia Marta está me paparicando bastante. Fez um prato de salada para "abrir meus caminhos" antes da ceia propriamente dita. Folhas, frutas, franguinho light desfiado etc. E pensar que tive que fazer minha famosa farofa rica, com um milhão de calorias, para o deleite dos 35 parentes. Cozinhei sem provar, mas na hora da virada devo virar umas duas colheres, pois sou filho de Deus. 


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


A farofa teve como base os miúdos do peru mas também levou passas, maçãs, lascas de pernil e do próprio peru, queijo do reino, manteiga, azeitonas, cerejas e ovos. Ou seja, um milhão de calorias, conforme eu havia dito.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Dia 55/365

A CAMINHADA



Hoje tive a satisfação de caminhar com um casal oriundo da aprazível Suíça Pernambucana (Garanhuns-PE): Rodrigo Trajano e sua esposa, Sheila. Perdemos a hora por causa de uma chuvinha matinal e só conseguimos sair de casa às 10h, para perambular pelas areias escaldantes sob o sol causticante de uma praia alagoana (e como esqueci o protetor solar, o resultado vocês verão na segunda foto, abaixo). Rodrigo é o meu primo nerd, rato de computador, um legítimo exemplar da Geração Y. Apoiou desde o primeiro dia esta Dieta da Rede Social e não se importou de caminhar nada menos que 8,1 km na maré seca!
Rodrigo e seus dois irmãos (que também devem caminhar comigo em breve) são os meus "primos do interior" - filhos do meu Tio Fazendeiro. Na minha infância, eu contava os dias para poder viajar para a casa deles nas férias para comer queijo de manteiga (uêpa!), usar meu canivete (uêpa!!) e matar seres vivos com uma espingarda de chumbinho (UÊPA!!!). Foram bons tempos quando protagonizamos trelas homéricas, brincadeiras ao ar livre e concursos de piadas sujas - onde a concorrência era acirrada com Rodrigo, que tinha um repertório tão gigante quanto o meu. Em garanhuns, "evoluímos" com a moda dos anos 80 e 90, sobretudo a musical, passando pela época da lambada (que Rodrigo dançava mais do que Carlinhos de Jesus - enquanto eu não dançava absolutamente nada) e a febre do Axé Music (essa eu dancei e curti, com abadá e tudo). Vergonha de um passado que não volta mais. kkkkkkkkkkk.
A caminhada de hoje funcionou quase como uma terapia de casal, pois apesar de estar sozinho, compartilho com eles um estilo parecido de vida, também com três filhos e um gosto pelo hi-tech.  Sheila tem um jeito muito parecido com o da minha mulher, calada e discreta - o que reforça a minha tese de que nós, os Insaciáveis, somos Ying; enquanto todas as nossas mulheres são Yang. Ô!
Compartilhamos conhecimentos sobre escola das crianças, hiperatividade infantil, plano de saúde, dívidas gigantes, bolas de neve e sensação de dever cumprido. kkkkk. Ao final, eu estava me sentindo muito mais leve!
Atividade física concluída com sucesso!!!! 8,1 km e uma enorme ensolação. Valeu Rodrigo, Sheila e Sol!!!



Charada fonética para um leitor chamado José:" o Sol Mickey Mouse"

COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


Depois da nona refeição no templo praieiro d'Os Insaciáveis, na verdade vos digo: estou sobrevivendo muito bem aos banquetes nababescos, comendo como uma pessoa normal e procurando priorizar as comidas menos engordativas. Os sacolés de aspartame continuam adoçando meus lanchinhos diurnos e vespertinos. Hoje cedo fiz uma cartola sem açúcar (banana assada com queijo abafado na frigideirinha com tampa), lanchei sacolé de maracujá e almocei um churrasquinho básico de carne magra de porco (uêpaaa!!!) com um queijinho coalho na brasa. Para temperar, uma singela dose de cachaça, "porque sem a cachaça ninguém segura esse rojão". 



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Não basta me adaptar às adversidades. Também tenho que atender a todas as expectativas sobre a dieta. Uma outra tia, carinhosamente chamada de Tia Louca, veio amargar meu delicioso churrasquinho de queijo, comentando que "isso não é tão diet como parece. Na verdade, o queijo assado é perigosíssimo!!!". Pois é, a última palavra foi essa praga, sem explicar o porquê de tanto perigo, ao que rebati: "por gentileza, aceito apenas comentários construtivos e de incentivo à dieta. Críticas devem ser guardadas para o momento oportuno, que não é aqui nem agora". Ela se arretou, mas vamos em frente! kkkkkkkkkk

sábado, 29 de dezembro de 2012

Dia 54/365

A CAMINHADA

A partir de hoje, seguirei por caminhos tortuosos e torturantes por vários dias, durante meu recesso para gozar o  réveillon no templo praieiro da Família Bullying Feliz, sendo tentado de todos os lados por guloseimas mil que fazem jus à alcunha que nos classifica de morta-fome perante a cozinheira:  "Os Insaciáveis".  Durante nove intermináveis dias, totalizando 54 refeições (aqui a galera segue o esquema gastronômico "viagem de transatlântico"), estarei pondo à prova esta Dieta da Rede Social. E assim, teremos sempre um parente-surpresa, membro da Família Bullying Feliz, me ajudando nas caminhadas solidárias. Estou pensando seriamente em intensificar a prática do exercício, aumentando para duas vezes por dia.
Na primeira manhã, acordei às 7h e não encontrei banana (o meu combustível padrão para a pré-caminhada). Em seu lugar, um suculento cuscuz, ovos mexidos e queijo de coalho frito. Me benzi e fiz um pratinho de sobremesa - rapidamente degustado. Felizmente, quatro voluntários se habilitaram simultaneamente para a primeira caminhada deste período de ano-novo: Lucas Amorim, atleta profissional de vôlei aos 17 anos (1.97m) e meu filho Bernardo, de 12 anos. Os outros dois participantes serão sumariamente ignorados, pois já tiveram seu momento de fama neste blog. Mhuahahahaha.
Lucas, também conhecido como Marago por causa da sua camiseta de treino, com os dizeres  "estive em Maragogi"(e nunca mais tirei essa camiseta), é praticamente o super boy: atleta, excelente aluno e ótimo filho (da minha queria Tia Marta). Bom em matemática, física e química, certamente vai dar pra Engenheiro. Conversamos sobre seus planos para o futuro, peladas de vôlei, basquete e futebol. Já o meu rebento só queria saber de gandaia, e nos acompanhou por 6 km, assim como os outros dois, que não ouso dizer o nome. Kkkkkkkkk
Atividade física concluída com sucesso! 6 km e muito bullying familiar! Kkkk




COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

O cuscuz cedo da manhã seria apenas a pontinha do iceberg. Ainda pela manhã chegaram os parentes de Garanhuns - e com eles, o carregamento de DUZENTOS picolés de saquinho, que chamamos carinhosamente de Bilolões, pois cada um mede seus 30 cm. Mas nem tudo estava perdido! Por insistência do meu querido pai, que me ama muito, vieram 20 Bilolões Zero Açúcar. Aleluia! Peguei logo um de maracujaspartame. Djilíça!
O almoço foi aquele samba do crioulo doido, à la Os Insaciáveis: feijoada, galinha guisada, frango frito, arroz chinês e mais um cuscuz. Optei pela galinha, com direito a fígado e moela, arroz branco e outro feijão (viva Tia Marta!), marronzinho com jerimum. Refeição nº 2 concluída com sucesso. De sobremesa: sacolé de aspartame (doce demais, já enjoei!)


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Felizmente a tertúlia nababesca d'Os Insaciáveis tem de tudo, inclusive comidas saudáveis. É só se segurar para fazer as escolhas corretas (uêpa!!!).

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Dia 53/365

A CAMINHADA


O voluntário da vez foi o estudante de jornalismo José Renato Torres de Miranda, que aos 20 anos já tem o joelho podre por causa do sobrepeso mas viu nesta Dieta da Rede Social uma luz para (re)começar uma vida saudável. Conversamos sobre... jornalismo! E também sobre caminhadas, dietas, bons exemplos, maus exemplos etc. Por causa do joelho detonado do meu acompanhante, fiz hoje um "passeio no parque", mas mantive os 6 quilômetros habituais. José Renato soube deste projeto por um amigo que lhe manda dietas e dicas de saúde semanalmente, mas só instigou-se de verdade para participar quando assistiu à reportagem da TV Globo (disponível no link ao lado, em "Estamos na Mídia").
Atividade física concluída com sucesso! 6,49 km no Parque da Jaqueira! Valeu, amigo José Renato!!!!

   
COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


Hoje foi o dia do banquete light de recesso de ano-novo na Ascome (Assessoria de Comunicação que Come Muito, vú?!) onde trabalho. Anualmente (mesmo quando eu não estava de dieta) promovemos esse banquete light como um momento de confraternização entre os poucos colegas que não estão de recesso. Optei por um sanduichinho singelo de creme de ricota com peito de peru light, depois coloquei geléia light zero açúcar de damasco e pêssego em outra fatia de pão 12 grãos e arrematei tudo com um bom copo de iogurte batido light zero açúcar top-laxante sabor mamão e morango. Se engordei, certamente emagrecerei ainda hoje. 




VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Tirei uma brincadeirinha com o joelho do meu prezado voluntário de hoje, mas o fato é que essa "engrenagem" sofre muito quando tem que suportar um sobrepeso corpóreo. Antes de criar esta Dieta da Rede Social, meus joelhos "estalavam" com freqüência. Agora, não mais.  José Renato certamente lesionou os ligamentos depois de uma partida de futebol (é por isso que eu não jogo, aprendi com o exemplo de Bussunda), e foi obrigado a trocar a peladinha semanal por natação e caminhada, antes de se submeter à cirurgia. Boa sorte, amigo, vai dar tudo certo! 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Dia 52/365

A CAMINHADA

Ainda traumatizado com o atraso de ontem, nesta quinta-feira cheguei pontualmente às 5h49 ao Parque da Jaqueira para encontrar a voluntária da vez: Rute Santos, designer de sobrancelhas(!), indicada por uma leitora assídua deste blog, chamada Helena Amaral (um dia chegará a sua vez!). 
Acostumada a correr, Rute impôs um ritmo acelerado, perfeito para intensificar meu metabolismo. Conversamos sobre a lucrativa indústria da beleza e os vários nichos de mercado para faturar em cima dela, como essa história de designer de sobrancelhas com atendimento em domicílio, que eu desconhecia completamente. Os assuntos co-relacionados como  escolhas saudáveis e a prática de exercício descambaram para as bombas químicas da indústria alimentícia, o  cobalto60 e os carcinomas malditos da vida moderna. Mesmo assim, vários assuntos engraçados permearam a caminhada - e posso garantir que hoje eu estava inspirado, pois a mulher gargalhou de chorar em alguns momentos. Tanto que esquecemos completamente a distância percorrida e acabamos andando 1 km a mais.
Atividade física concluída com sucesso! 7,02 km no Parque da Jaqueira. Obrigado, Rute!!!! Manda um abraço para Helena!!!

Peraí, deixa eu escovar meu bigode e secar a barriga...

Pronto, agora ficou tremida! kkkkkk


COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje a nossa empregada doméstica (por que "secretária do lar" se ela não anota meus recados nem organiza minhas contas?) facilitou a minha vida e preparou uma deliciosa papinha de aveia. Estou super disposto, depois disso.


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Saber lidar com uma frustração emocional talvez seja o maior desafio de qualquer dieta, pois a comida normalmente vinha ocupando durante toda a vida pregressa a função de válvula de escape para qualquer gordinho(a) que se preza (mas nem tanto). Ou seja, uma boa gordice (deliciar-se hipercaloricamente) supre com perfeição o psiquiatra, mas a um preço bem mais caro: a debilitação da nossa saúde. Quem nunca açucarou a boca para ajudar a engolir uma amargura, decepção ou derrota? Quem nunca chorou, comeu um Laça-leitão com bastante maionese e voltou a sorrir? kkkkkkkkkkkkk. Graças a Deus estou tão condicionado e comprometido com este meu projeto que não me deixei abalar pelo bullying pesado de ontem, capitaneado pelo Tio Hipocondríaco. Esse homem é tão competente na arte da bullynada que até interferiu nos rumos profissionais de uma Mente Brilhante da nossa família. Ainda bem que além de brilhante (rá!) eu sou meu próprio psicólogo(uia!), me amo e não posso mais viver sem mim. Em tempo: meu pai percebeu que foi manipulado por T.H, me pediu desculpas e já voltamos à ótima convivência. Amém!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Dia 51/365

A CAMINHADA

Me atrasei tanto para a caminhada de hoje que achei melhor levar uma camisa da "Torcida Desorganizada A Coisa" (produto fora de catálogo!) como um presentinho de desculpas para o ilustre desconhecido (até então) voluntário da vez: Gregório Maranhão, professor de história. O rapaz já tinha dado quase três voltas no Parque da Jaqueira, esperando por mim, mas consegui alcança-lo e recuperar o tempo perdido. O assunto da nossa caminhada não poderia ser outro: educação, a começar pela minha "falta de", que até hoje não sei de quem herdei (mhuahahahahahahaha). Conversamos sobre o uso da tecnologia em sala, a produtividade e eficácia das aulas de campo, os estímulos aos estudantes portadores de déficit de atenção etc. Recuperando-se de uma cirurgia na coluna, Gregório recebeu sinal verde do médico para caminhar e logo que assistiu a reportagem da TV Globo sobre esta Dieta da Rede Social, tratou de se inscrever. Os papos foram muito animados, enveredando até pela praia de Tamandaré, cervejas e farras. Aos 5 km, liberei o voluntário (que já tinha caminhado quase 3 km sozinho, e caminhei mais um pouquinho novamente na companhia do Menino Jesus.
Atividade física concluída com sucesso!  6,2 km. Valeu, Gregório e desculpa aê qualquer Coisa!!!! 


Esquecemos de tirar a foto, por isso vai a do Face dele

O mapa de hoje (6,2 km) , com o complemento fora do parque



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Depois da ceia natalina eu fiquei mais caxias com a dieta - não por culpa, afinal, culpa é uma palavra que não existe no meu dicionário. kkkkkkkkkkkk. 
Ontem, no almoço do Day After, preferi um churrasquinho light de queijo de coalho a enfrentar um filé ao molho madeira. Sucos e frutas complementaram minha dieta. 
Hoje, já plenamente restabelecido das minhas faculdades mentais, encarei o básico feijão-com-arroz (literalmente, com direito a jerimum), mais um pedacinho insignificante de cupim (uêpaa...) e uma salada meio sem graça de couve, cenoura e tomate. A pressão ainda está alterada, por fatores externos.



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

O motivo do meu singelo atraso para a caminhada de hoje foi um aborrecimento que interrompeu meu repouso, graças a um "evento" familiar que começou ontem cedo, numa visita ao Tio Hipocondríaco, e culminou com um telefonema desgastante do meu pai (que é cego e surdo para os argumentos alheios aos dele), me acordando do meu sagrado sono noturno para me dar um esporro citando Madeira do Rosarinho ("queiram ou não queiram os juízes, nosso bloco é de fato campeão!"). O pivô do mal-estar foi o texto exageradamente rasgado de elogios à minha Tia Dentista, no Dia 45, que foi mal-interpretado pelo Tio Hipocondríaco e terminou por unir a Família Bullying Feliz contra mim, numa ridícula comparação familiar - como se não pudesse existir uma pessoa "de fora" capaz de me tratar tão bem quanto meus queridos parentes Insaciáveis de amor, e de ter contribuído também para a minha boa formação cristã. Mas aí o ciúme lançou sua flecha preta... e por causa disso estou forçado a feri-los justo na garganta. Quando inventei esta dieta, meu querido pai, que eu sei que me ama muito, apenas comentou: "se não fechar a boca, não adianta!". E minha Tia Dentista, ao saber do projeto, disse: "Que ideia massa, meu amor. Tenho certeza que você vai conseguir". Não que ela goste mais de mim do que meu pai - é somente o jeito dela, mais formal e sem bullying involuntário, que considerei mais edificante para os meus ouvidos. A Família Bullying Feliz tem incontáveis méritos na minha formação, a começar pelo sentimento "família" que nos une até nas brigas mais ferrenhas (que me aguardam no ano-novo, com certeza!). Exemplos de honestidade e retidão aprendi justamente com meu pai e com o Tio Hipocondríaco; amor ao próximo, com Tia Marta; humildade e desprendimento, com Tia Louca; dedicação incondicional aos filhos, com Tio Fazendeiro. Enfim, uma família como tantas outras, cheias de pessoas especiais que se amam mas também se "bullynam", mordendo e assoprando. Amo vocês, seus porras!

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Dia 50/365

A CAMINHADA

Sabendo que a voluntária de hoje seria uma completa desconhecida, resolvi fazer uma graça e arranjei uma touca de Papai Noel emprestada, já que hoje é Natal. Mas, porém, todavia, Lívia Kroos não apareceu. Pois é. Tive que sair caminhando sozinho by myself. Ou melhor, um Papai Noel seqüelado pós-ceia, lado a lado com o Menino Jesus (para nos ver era preciso acreditar em ambos). E assim, depois da segunda volta imerso em meus pensamentos cheios de contabilidades calóricas e metas de compensação de carbono etc e tal, eis que o destino pôs em meu caminho o ex-jornalista esportivo André Albuquerque - que foi rapidamente intimado a ser o voluntário-estepe. Prestes a ser pai de primeira viagem, André tem malhado diariamente como "redução de danos prévia" para o longo período de engorda que está por vir. Conversamos sobre o mito de que os maiores malas estão no jornalismo esportivo, a vida pós-jornal etc. Foi massa! 
Atividade física concluída com sucesso! 6 km no Parque da Jaqueira.




COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


O Day After da ceia natalina teve banana, mamão, pão de centeio, creme de ricota e um queijinho do reino, claro. Logo mais, almoço natalino na casa de mãe.




VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Queijo do reino é uma delícia de Natal, mas o meu calcanhar de Aquiles é mesmo a farofa "Rycah" dos festejos natalinos. Da minha ceia de ontem, encarei somente uma singela colherzinha de sobremesa de miúdos da farofa. Mas a minha vontade era cair de boca num pratão só com a iguaria. Felizmente resisti, assim como à sobremesa. 

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Dia 49/365

A CAMINHADA




Nosso herói de hoje foi o fotógrafo boa-praça, bom marido, bom genro e bom pai Gustavo Bettini - que teve a sorte de fazer um agendamento de última hora para esta véspera de Natal. Morador VIP do Poço da Panela, me ciceroneou por sua vizinhança numa caminhada muito agradável, tendo como background  o casario belíssimo daquele verdadeiro oásis na zona norte do Recife; e como música ambiente, uma sinfonia de passarinhos. Que lugarzinho mais ou menos!  Falamos sobre foto, vídeo, projetos, bem-estar, educação dos filhos, resignação cristã, fé num mundo melhor etc. Foi tão boa a caminhada que passamos dos 6 km pensando que tínhamos andado apenas 4 km. No final, ele abriu as portas de sua fuderosíssima (mais-que-poderosa, em pernambuquês) casa e me ofereceu um refrescante suquinho de pinha, em companhia da esposa super gente fina, Cláudia, e de dois cachorros figuraças - principalmente o Labrador. 
Atividade física concluída com sucesso! 6,8 km em excelente companhia!!! Valeu demais, Bettini!!!



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?



Antes da atividade física encarei um iogurte diet-laxante com frutas vermelhas. Após o exercício, suco de pinha e uma maratona de compras de última hora para o Natal. No almoço, troquei o bife à milanesa com batata frita por umas torradinhas com uma gororoba low-kcal (um creme de atum, ricota e iogurte natural, e umas folhinhas - poucas, admito).


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Semana passada escutei uns conselhos sobre sucos, mas fiz ouvidos de mercador. Essa lenda de dizer que algumas frutas são calóricas (como laranja e graviola) tira o meu tesão. Ora, fruta é fruta, com méritos muitíssimo maiores do que os refrigerantes diet, na minha comparação. Prefiro mil calorias de fruta do que menos de 1 numa coca zero. Tenho dito!

domingo, 23 de dezembro de 2012

Dia 48/365

A CAMINHADA


Hoje foi mais um dia daqueles choques inevitáveis de agendamento - ainda uma repercussão da popularidade deste projeto na mídia televisiva. E assim, lá estive eu em Boa Viagem às 7h30 e no Parque da Jaqueira às 9h30, para atender a dois voluntários numa só manhã. O primeiro voluntário do dia foi o aprendiz de hacker e profissional de TI, Esdras Rodrigues. Como eu tinha ido em jejum, começamos a caminhada somente depois de um caríssimo copo de suco de açaí. Calórico ou não, forneceu a energia necessária para os mais de 10 km que me aguardavam. A caminhada com Esdras foi massa, na base dos assuntos mais HI-Tech possíveis. 
Após o exercício em BV, rumei para a Jaqueira, onde encontrei o segundo voluntário - o Personal  Sidnei Galvão, que se agendou depois de assistir à reportagem da TV Globo. O camarada me explicou sobre uma porção de hábitos saudáveis e dietas funcionais, alimentos termogênicos etc. Derrubou o mito de fazer abdominais para perder barriga e confirmou a grande probabilidade de minhas atividades físicas diárias não causarem lesões pela repetição constante. Ou seja, o especialista me disse que estou no caminho certo. 
Atividade física concluída com sucesso!!! 6,2 km na orla de Boa Viagem e 4,3 km na Jaqueira. Valeu, galera!!!!






COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

No lugar da banana habitual, um copázio de "açaí guardiã, zum de besouro, um imã". Porque branca é a tez da manhã.

VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Açaí é bom, mas foi o guaraná do Amazonas que fez minha cabeça durante um bom tempo, há alguns anos. Descobri um lugar no bairro do Cordeiro que vende todos os ingredientes para se preparar um delicioso suco de guaraná do Amazonas: pó de amendoim, pó de castanha, xarope de guaraná e guaraná em pó. Em casa, eu botava tudo no liqüidificador e fazia a festa da criançada. Nunca mais!


sábado, 22 de dezembro de 2012

Dia 47/365

A CAMINHADA

A voluntária de hoje me fez o enorme favor de me deixar dormir até mais tarde, afinal, comemoramos nesta data nada menos do que 17 anos de dominação. Pois é, estou falando da minha cara-metade, que por força maior me fez quebrar a regra de não repetir voluntários nesta Dieta da Rede Social. Com agendamento feito há mais de 30 dias, Alessandra fez questão de monopolizar minha atenção no nosso aniversário de namoro. Imagino que ela queira fazer o mesmo no de casamento, em agosto. Ou seja, se minha meta era vender pelo menos 365 exemplares do meu futuro livro d'A Dieta da Rede Social (um para cada voluntário), agora terei que me contentar com menos três (de todo jeito o dela seria de graça).
 A caminhada começou no Central Park 13 de Maio, mas como boa aquariana, ela não gosta de andar em círculos. Por isso resolvemos sair perambulando pelo centro do Recife, percorrendo a Rua do Hospício, Rua do Príncipe, Fernandes Vieira, Praça Oswaldo Cruz (para contemplar o glorioso Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco), Conde da Boa Vista, oitão do sanatório,  ruelas no entorno da Unicap, Avenida Mário Melo, Cruz Cabugá, Rua do Lima e, finalmente, a Aurora. Incrível como o trajeto formou um mini-mapa de Pernambuco. 
Atividade física concluída com sucesso! 5,37 km + uns abdominais especiais ontem à noite. Também foi bom pra você, amor?




COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Banana comprida, cozida, com uma ponta de faca de manteiga. Isso sim, é um café da manhã.


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Antes de chegar ao ápice do meu peso (os 139,8 kg, marco-zero desta dieta), o primeiro sinal de alerta veio no simbolismo do matrimonio: a aliança de casado estava literalmente estrangulando meu dedo. Precisei untá-lo com manteiga Turvo para tirar o anel e, desde então, ando livre, leve e solto - com consentimento da mulher, claro. Mhuahahahahaha


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Dia 46/365

A CAMINHADA

No momento exato em que recebi a confirmação de agendamento para hoje, lembro que entrei em contato imediatamente com a voluntária - a jornalista, amiga da minha mulher  e cachaceira profissional nas horas vagas, Dulce Melo - para tirar uma brincadeirinha inofensiva, de cunho sexual. Eu disse-lhe que, por influência de um poema de Charles Chaplin, eu gostaria de morrer gozando: "Então, Dulce, se o mundo começar a acabar no dia 21 de dezembro, na hora da nossa caminhada, a gente vai ter que trepar na pista de cooper, kkkkkkkkkkkkkkkk". Ela, casada e respeitável, mas não menos tiradora de onda do que eu, rebateu na hora: "então se masturbe pra lá!". Quando nos encontramos hoje, no Dia D, a gargalhada veio à galope. E assim, apesar do céu cinzento, o mundo não acabou. Caminhamos nada menos do que 6,88 km conversando sobre confras, prefeitos imperfeitos, cachaças mais-que-perfeitas, fumo e vortemo. Mesmo destruída pelo exercício, Dulce não acreditou que já tinha acabado. Pois é, minha filha, comigo é satisfação garantida ou seu dinheiro da água de coco de volta...
Atividade física concluída com sucesso!!! Muito obrigado, Dulce Melo!!! foi gozadíssimo pra mim também!



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Segui o café-da-manhã habitual, de olho na próxima refeição. Hoje, lamentavelmente, é a confraternização vespertina com meus colegas de trabalho e, mais lamentavelmente ainda, será realizada em um restaurante chinês. Pelo menos os yakissobas da vida levam sempre muitas verduras e legumes. Além do mais, dizem que o gato é um animal light, como o porco que tem carne branca. Aguardem e confiem, né?!



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Gosto muito de ficar chinês me deliciando com a farta e saudável gastronomia oriental. Essa predileção vem da infância, quando eu só comia verdura "se fosse a verdura da comida chinesa". No dia-a-dia, em casa, nenhum fragmento de cenoura entrava no meu prato. Então, jantando na casa da minha avó materna, meu tio caçula (irmão da Tia Dentista) me ofereceu um prato de sopa de verdura. Neguei veementemente, até que ele, super astuto, informou: "mas essa sopa é chinesa". E eu comi, todinha. kkkkkkkkkkkkkkkk

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Dia 45/365

A CAMINHADA

O voluntário de hoje foi o meu estimado primo legítimo, que é filho caçula da queridíssima Tia Dentista: Çaulo Alves Sayão, engenheiro bem-sucedido e torcedor sofrido do tricolor Santa Cruz (daí a brincadeira em grafar seu nome com a referência à série "C", kkkkkk). Apesar desse grave defeito, é gente finíssima e sempre me apoiou em todas as dietas e dificuldades da minha vida. Até se ofereceu para pagar meu curso de Direito (como empréstimo), porém, como sou orgulhoso e burro, recusei. Mais que um parente, esse eu considero um amigo de verdade (até porque, em caso de fuleiragem, a pisa viria a galope - pois Tia Dentista me ama como a um  filho, também). 
Como é um homem de negócios sempre ocupadíssimo, Çaulo só conseguiu espaço na caminhada voluntária desta Dieta da Rede Social agora, mas considerou o primo comparecendo pontualmente às 6h ao Parque da Jaqueira. Eu jurava que ele iria vestido com a camisa do seu glorioso time, por isso enverguei meu uniforme completo da Torcida Desorganizada "A Coisa" (paródia criada por amigos jornalistas para positivar o apelido pejorativo que os rivais colocaram no Sport Club do Recife). Porém, ele foi à paisana, apenas como tricolor enrustido - e sequer se manifestou quando um corredor passou por nós e disse: "só não agendei no seu blog para ser voluntário porque você é rubro-negro!!!". Pois é, desde que fui Globalizado, ainda tenho que lidar com a fama de ser reconhecido nos parques públicos por onde ando. 
Caminhar com Çaulo é exercitar também as boas maneiras, já que - por mérito de Tia Dentista - esse pacato cidadão não fala palavrão (mas deve saber todos, pela convivência com a torcida em dia de jogo). Andamos num ritmo intenso, apesar de este ser o meu Day After da mais famosa confraternização de jornalistas: a do governador Eduardo Campos com a imprensa pernambucana, popularmente conhecida como "A confra do Gov", como dizemos na intimidade da peãozada do meio jornalístico. Tomei três doses de uísque (360 calorias), apertei bem forte a mão d'O Homem (220 kcal) e me mandei antes da meia-noite para poder honrar meu compromisso com o voluntário de hoje. Sobrevivi, caminhei mais do que devia e estou aqui sem um pingo de sono, com mentira e tudo.
Atividade física concluída com sucesso: 7,46 km! Valeu, Çaulinho!!!




COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje me dei ao luxo de comer duas fatias de pão de centeio com lâminas finíssimas de queijo de coalho, além das frutinhas habituais. Reforcei o café para evitar a ressaca. 


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Tia Dentista e Çaulo não fazem parte da Família Bullying Feliz, tampouco d'Os Insaciáveis. Ahhh, que peninha! kkkkkkkkkkk. Eles compõem o núcleo familiar "Educado, Cristão, Emocionalmente Sadio e Ajuizado" que também teve importante parcela em "Minha Formação" (parodiando Joaquim Nabuco). Passei incontáveis finais de semana e férias na casa deles, durante toda a infância e adolescência, para brincar com meus três primos contemporâneos (Çaulo e mais dois - que só citarei os nomes se caminharem comigo). Tia Dentista nos educava (eu, por tabela) com exemplos de boas maneiras, estímulo à leitura e boa dicção. Ah, ela também impunha algumas regras diretamente ligadas à sua profissão, a exemplo de jamais comer "porcarias" como doces, chicletes e guloseimas hipercalóricas - que consumíamos escondido, como se fossem drogas (e eram/são). Eu lembro que até o bolo de chocolate na casa dela não tinha um grão de açúcar sequer (na verdade era um bolo insosso/amargo/inodoro à base de cenoura e bicarbonato de sódio,  com uma calda de chocolate feita certamente com cacau orgânico.  Eu chegava na casa da Tia Dentista na sexta à noite, trazendo toda a minha bagagem cultural acanalhada da Família Bullying Feliz, e só voltava no domingo à tarde, praticamente canonizado e sem fome. Nem do bolo eu comia.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Dia 44/365

A CAMINHADA


A voluntária de hoje foi a queridíssima jornalista, empresária da comunicação e artesã artista plástica/designer nas horas vagas Dani Acioli, que conheço de longos carnavais - quando ela ainda nem tinha fundado a troça carnavalesca "Amantes de Glória", que é sucesso absoluto tanto nas ruas da Boa Vista quanto no Recife Antigo. Dani chegou pontualmente ao local marcado (Beira-rio) e, sem cerimônia, foi logo caminhando sem mim (certa ela!). Só fui alcançá-la na segunda volta para, juntos, andarmos 5 km. Não sei se a ruivisse dela é natural ou de laboratório, mas o fato é que me senti em casa, caminhando ao seu lado. Conversamos muito sobre jornalismo, passando pelas confras, babados, venenos e tal. Mhuahahahaha. Ela me perguntou como é a sensação da endorfina - que jura nunca ter sentido, apesar de estar num esquema regular de caminhadas há uns três meses. No final do exercício, com o riso dela muito mais solto, expliquei: "isso é endorfina". 
Incrível foi o reconhecimento do público, afinal, hoje foi o primeiro dia de caminhada pós-globalização (a reportagem da TV Globo, veiculada no Globo Esporte, foi ao ar ontem à tarde - confiram no link ao lado, na seção "Estamos na Mídia"). Pelo menos três pessoas me cumprimentaram na pista de cooper, além do instrutor da Academia da Cidade que, no meio da aula, acenou e deu um grito de incentivo pra mim. Ainda bem que sou tranquilo e sei lidar com a fama. kkkkkkkkkkkk
Atividade física concluída com sucesso: 6,1 km (andei o último sozinho, para compensar o atraso). Valeu muito, ruiva!!!! 





COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


Hoje fui de papinha de aveia com adoçante. Me deu uma disposição que vocês não queiram nem saber! Estou batendo as pernas até agora. kkkkkkk


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...



Eu esqueço a minha bola e esqueço minha boneca quando como, como, como, como, como, como Cremogema minha papinha de aveia! É muito boa! Até nos tempos (que espero que não voltem mais) da vida sedentária e hipercalórica eu não abria mão de uma boa papa, quando podia ter essa opção. Meu pai preparava a sua com um ingrediente secreto - que só vim descobrir dia desses: uma gema de ovo (eca!). Com uma papa daquela o cara podia subir correndo a ladeira da Sé, em Olinda.  

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Dia 43/365

A CAMINHADA

Ainda bem que este blog não é em inglês, do contrário eu teria dificuldade em explicar que hoje caminhei com uma cadela - chamada Bina - e sua simpaticíssima dona: a jornalista e empresária da comunicação Renata Reynaldo. Quase nos desencontramos, pois havíamos marcado na margem do Rio Capibaribe, ao lado do Parque da Jaqueira (que não aceita cachorros) - e acabei me atrasando um pouquinho, por causa da distância de onde havia estacionado meu carro. Bem, o que importa é que deu tudo certo! Percorri 6,15 km passando pela Avenida Rui Barbosa e Av. Leonardo Bezerra Cavalcanti, na Jaqueira; Viaduto do Carrefour, Avenida Marcos André (UÊPA!!!),beira-rio  e ponte da Torre; Rua das Graças, Ruazinha do saudoso El Bodegón, Rui Barbosa novamente e Parque da Jaqueira. 
Conversamos muito sobre educação infantil - e pelo que vi, Renata Reynaldo foi uma mãezona maravilhosa e também uma boadrasta (o contrário da madrasta). E Bina? Bem, essa linda cadelinha me lembrou de cara o também saudoso "Lupércio" ou "Lupa", o inteligentíssimo cachorro d'Os Trapalhões, presente na maioria dos filmes de Renato Aragão & Cia, nos Anos 1980's. Parece que tanto Bina quanto Lupa são da mesma raça vira-lata.
Renata e Bina fazem esse percurso com muita freqüência, por isso ambas estão muito bem condicionadas. 
Atividade física concluída com sucesso! Valeu Renata! Auauauauau! ("valeu Bina", em cachorrês - já fui solteiro, eu sei).


COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje eu acordei sem um pingo de fome, e mesmo depois da caminhada encarei somente duas meias-bananas cozidas (orgânicas, na casa de vocês-sabem-quem).


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


A banana comprida também faz parte do cardápio típico-regional pernambucano, por isso sempre esteve presente nas mesas da minha vida inteira. Normalmente é preparada cozida, com uma pontinha de manteiga (que derrete maravilhosamente) e uma pitada de canela. Hoje eu comi pura, sem nada. Porém, já vi variações da famosa sobremesa "cartola", utilizando a banana comprida como base, cortada em fatias finas e deitada sobre uma cama de açúcar e canela, para receber uma generosa e nada-light fatia de queijo de manteiga derretido. Eu juro que escrevi isso tudo sem ao menos salivar (ou seja, consegui abstrair a mente e focar apenas nos meus resultados, mhuahahahahahaha).  

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Dia 42/365

A CAMINHADA


Quando telefonei para o meu voluntário para perguntar em qual entrada do Sítio da Trindade (Casa Amarela, Recife - PE) nos encontraríamos, senti pelo seu tom de voz que eu acabara de acordá-lo, às 5h50. Daí a mais uns quinze minutos, ele deu as caras: Ricardo Mello, jornalista, escritor e pai de três gerações - o conheci pelo networking do meu filho mais velho, que estudou com o filho do meio de Ricardo na Escola de Aprendizes Milionários. Tanto que até hoje seu número estava gravado na minha agenda como "Ricardo Pai de Enrico Amg de Bernardo". 
Bem, o fato é que Ricardo tinha agendado para às 7h30 e logo depois de receber o agendamento (há vários dias) entrei em contato com ele, virtualmente, para dizer que o horário da caminhada nos dias úteis precisava ser às 6h, por causa do trabalho etc. Ele confirmou (há dias) e esqueceu (hoje). Mas não tive maiores problemas em acordá-lo. Em pouco tempo ele chegou bem disposto para me ajudar a percorrer o tortuoso circuito do Sítio da Trindade (que é cheio de curvas e bastante inclinado, mais parecendo uma pista de montain bike). Começou o papo com uma cobrança: "cadê você ontem, no lançamento do meu livro?". Ao que rebati: "durmo cedo". Quando ele contou que o lançamento fora às 16h, soltamos a primeira saraivada de risos que daria o tom para as próximas conversas: gafes, mercado de trabalho, confraternizações, livros, filhos, sogros, chefes, escolas, babados. Tenho certeza que pelas quatro gargalhadas que ele deu o "transtorno" do horário foi compensado.   
Atividade física concluída com sucesso: 5,34 km na "montanha-russa sem carrinho" do Sítio da Trindade. Valeu muito, Pai de Enrico!!!! Abração!




Atualizado em 18 de dezembro de 2012: Gente, Ricardo Mello tinha razão quanto ao horário! eu simplesmente não tinha combinado previamente a antecipação para às 6h. Acabei acordando o rapaz "na tora", cheio de direito, quase dando um esporro pela sua preguiça latente. Mas o camarada vasculhou sua caixa de entrada (Uêpa!!) e me mandou o e-mail da confirmação do agendamento e nosso bate-papo que confirmava apenas O LOCAL da caminhada. Perdão, amigão!!! pense pelo lado bom: seu dia começou muito mais produtivo. kkkkkkk

COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje Tio Hipocondríaco quis me empurrar aquela velha melancia transgênica de Chernobyl, sem caroços. Só após minha negativa veemente, ele admitiu que ninguém naquela casa - o núcleo mais cavalar d'Os Insaciáveis - ousou encarar a fruta exótica, depois que escrevi sobre o Cobalto60. Partimos então para a dieta da laranja geladinha, chupando duas cada um, intercaladas por meio mamão papaya "de ontem". Hoje tenho convicção de que emagreci.



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Que atire o primeiro toucinho o gordo que nunca tirou uma brincadeirinha quando foi flagrado comendo porco e disse que "carne branca pode!". Pois é, no ano-novo da Família Bullying Feliz pode faltar qualquer parente mas o suíno é sempre convidado (Né, Beto?). Hoje, na casa do Tio Hipocondríaco, identifiquei um mega-pernil recém-comprado, em cima do balcão. O coroné disse logo que aquele era o do Natal, na casa da sua sogra. Imagino que o pernil do ano-novo será muito maior. Por isso nosso projeto da Dieta da Rede Social será intensificado, com duas caminhadas diárias - é o princípio da "redução de danos".  


domingo, 16 de dezembro de 2012

Dia 41/365

A CAMINHADA

Quando recebi a confirmação do agendamento da voluntária de hoje, estranhei um pouco o horário avançado das 9h30. Porém, ela provou que seu comprometimento comigo era muito maior do que a escolha de um período mais confortável pra caminhar. Isso porque caiu uma super hiper tempestade sobre o Parque da Jaqueira, justamente às 9h30, e mesmo assim a Fina&Fofa compareceu: Mariana Ribeiro Araújo, jornalista e roqueira, casada com um camarada gente fina que só tem um defeito - ele defende a redução de estômago como a melhor solução para o combate a obesidade. Ou seja, é apenas um ex-mutilado querendo companhia no time dele. Mhuahahahahaha. Mariana me trouxe um recado de Serginho: "diga-lhe que ele é um gordo safado!", murmurou, debaixo dos lençóis. Até parece que meu Brother tinha previsto a minha tiração de onda com a solução que ele encontrou para o seu problema de obesidade. Pena que ainda não inventaram a máquina da desociosidade.
Mariana veio preparada para o temporal, com um belíssimo guarda-chuva com estampas de paisagens cariocas, enquanto eu portava um modelo tradicional xadrez. Confesso que eu estava morrendo de medo de ser atingido por uma descarga elétrica fulminante, por causa da combinação do celular com o GPS ativado, mais o guarda-chuva cumprindo o papel de antena parabólica e ainda a ligação "terra" das palmilhas magnéticas que ganhei de presente (obrigado novamente, Edina. Bjs! ). Felizmente, os arranha-céus do entorno do Parque da Jaqueira têm excelentes para-raios. 
Conversamos muito sobre rock, topadas certeiras, mau atendimento das companhias aéreas, jornadas extras de trabalho e... intervenções cirúrgicas no estômago (uêpa!). Ela, ao contrário do seu amado, não é mutilada mas colocou um balãozinho gástrico básico. Mas assim como ele, só não come mais porque não consegue. Acabamos num embate ciência x natureza, onde nossos resultados atualmente configuram um empate técnico. Minha vantagem é que só precisarei tomar suplementos vitamínicos quando chegar na terceira idade.
Atividade física concluída com sucesso! 6,3 km de caminhada molhada (foi quase uma hidroginástica). Valeu muitíssimo, Mariana!!!!! Bjs, me tuíta!



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje minha cara-metade caprichou na saladinha do almoço, com direito a queijo de búfala, tomate seco, passas, muitas folhas e um fio de azeite de oliva. Delícia! Tanto que dispensei o resto da pirâmide alimentar.

VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Os avanços da ciência na vida de um gordo são, ao mesmo tempo, espetaculares e degradantes. Se por um lado proporcionam o emagrecimento-relâmpago pelas cirurgias bariátricas, por outro estimulam o sedentarismo supremo através das comodidades cada vez mais confortáveis do dia-a-dia, desde os controles-remotos que nos mantêm em nossos sofás e camas à utilização do carro para ir na padaria da esquina. Poderíamos definir a "evolução" tecnológica com uma hipotética tragédia: engordamos na velocidade de um Fast-Food, emagrecemos com a rapidez de três furinhos na barriga. Esta Dieta da Rede Social nada mais é do que a reinvenção da roda: caminhar uma hora por dia e fazer escolhas saudáveis nas horas das refeições. E a ciência? A gente usa pra se pesar! Kkkkkkk

sábado, 15 de dezembro de 2012

Dia 40/365

A CAMINHADA


A voluntária de hoje, Heliane "Pupi" Rosenthal, é jornalista de fato mas bem que poderia ser advogada por direito, pois já conheceu todas as varas (Uêpa!!!) assessorando a OAB há umas sete primaveras. Somos amigos desde o ano 2000, quando cheguei para ser seu colega na editoria de Economia do Jornal do Commercio. Por essa razão, fizemos uma caminhada nostálgica. Logo na primeira volta encontramos uma outra jornalista na pista de cooper - Angela Lacerda, correspondente d'O Estadão - que nos deu uma incrível injeção de ânimo com seu sorriso contagiante e a sua camiseta que estampava a palavra "amor" em letras garrafais. Como Angela já tem pique de maratonista, nos acompanhou só um pouquinho - para escutar as fofocas. A sós, Pupi me contou sobre uma dieta bem balanceada que ela tem seguido, e que me mandará por email. Falou também sobre as mudanças de hábitos, seus sonhos, viagens, amigos, família... Enfim, uma hora de papos agradáveis para nos fazer sentir igualmente leves.
Atividade física concluída com sucesso, percorrendo 6,2 km no Parque da Jaqueira. Valeu demais, Pupi!!!

Nós dois vestimos pretinhos básicos

COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje está difícil. Apesar de ter começado o dia bem, com as frutas habituais (incluindo uma porção de gelatina diet), na hora do almoço fiquei sem opção: panquecas ou um camarão ao "alho, óleo e óleo", feito por meu sogro - que é italiano. Minha esposa saiu estrategicamente para o salão de beleza das 11h às 15h, levando meu carro e minha carteira (no porta-luvas). Agora, que ela finalmente chegou, me apresso para terminar este texto, já que terei que comprar alguma comida diet. E nada da ligação de incentivo de Pupi (judia de mim!).



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

A presença do pai da minha esposa há DEZ ANOS na nossa casa faz da nossa cozinha um lugar untado. Preste atenção: Eu não quis dizer ungido. É untado mesmo. Óleos e massas compõem a pirâmide alimentar da minha casa, necessariamente nessa ordem. E assim, como estou de dieta, preciso fugir escorregadio desse cenário nada favorável. Ciao!


sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Dia 39/365

A CAMINHADA


Hoje eu bati meu recorde de sacrifício disposição: acordei às 4h44 para poder estar pontualmente às 5h30 no calçadão da avenida Boa Viagem, para caminhar com a voluntária  Helena Sabino - a super caminhante profissional. Ela já tinha mandado o recado de que eu não daria conta para acompanhá-la no seu pique habitual, capaz de percorrer 11 km em uma hora de exercício (prazer que mantém há vários meses e 13 quilos a menos). Realmente, eu não pude nem tentar, pois sabia que hoje eu teria que estar também a disposição da Rede Globo Nordeste, para a última sessão de filmagens sobre esta Dieta da Rede Social, lá no outro lado da cidade - na Praça de Casa Forte. 
Helena impôs um ritmo mais acelerado - o que foi ótimo, pois instiguei um pouco além do meu habitual. Conversamos sobre filhos, novos desafios de vida e o bem-estar que a caminhada proporciona. Muito legal a sua companhia - nos conhecemos superficialmente há alguns meses, na fila para comprar o livro do nosso amigo comum, o chargista Miguel Falcão. Quando ela soube da Dieta da Rede Social, fez questão de se agendar.
Para minha surpresa, no quilômetro 4 encontramos a voluntária do 33º dia, Edina, que tinha me stalkeado (bisbilhotado a agenda pela internet somente para saber quando eu voltaria em Boa Viagem) para poder me entregar um presentinho! Oh, que fofa! Ela me deu um par de palmilhas magnéticas que, segundo reza a lenda da reflexologia, serve para ativar a musculação, aliviar o peito e acalmar a tosse. Amei! 
Atividade física concluída com sucesso: 5,2 km! muito obrigado Helena Sabino e Edina!!!



Cerca de 1h30 depois, lá estava eu na Praça de Casa Forte, para caminhar com a repórter Global Sabrina Rocha! Dessa vez, graças aos ajustes técnicos da filmagem, o exercício foi bem leve - no entanto, com mil repetições (até ficar bom). Meu muitíssimo obrigado a Sabrina, ao cinegrafista Jota Júnior e ao cara que botou o fio em mim (Uêpa!!!), Adriano Augusto.





COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


Outro grande sacrifício do dia foi encarar uma melancia transgênico-orgânica (?!!!) na casa do meu Tio Hipocondríaco. Realmente eu suponho que ela seja um híbrido, pois é pequena como os alimentos orgânicos e sem sementes como as iguarias transgênicas. Fiquei tão assustado que só consegui comer uma fatia e meia, mais uma banana e uma rodelinha de abacaxi para arrematar. 




VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Atenção: o conteúdo a seguir tem altas doses de pragmatismo apocalíptico. Pessoas sensíveis, hipocondríacas ou com tendência a depressão devem evitar a leitura (sobretudo antes do dia 21 de dezembro de 2012).
E finalmente chegamos à catarze desta Dieta da Rede Social - o momento de pôr à prova não somente os alimentos "errados" mas também os "certos". Vou lhes contar sobre a interferência da ciência na mesa de nossos lares. Mhuahahahahahahaha (risada macabra).
A indústria alimentícia mantém estudos regulares para otimizar a produção. Daí nasceram os alimentos transgênicos, que são geneticamente modificados para "render mais" em quantidade, qualidade e resistência. E assim, num belo dia, um restaurador de documentos e obras de arte da Fundação Joaquim Nabuco me contou que participou de uma capacitação no mínimo inusitada: "O uso da radiação para o combate aos agentes biológicos (neste caso, as traças e o mofo que dá nos livros)". Para manipular a tal substância, chamada Cobalto60, foi preciso vestir roupa de Chernobyl. O equipamento era uma máquina do tamanho de uma copiadora profissional (cerca de 1 metro quadrado). "Aí o cara aperta o botão e sai do recinto, para o Cobalto60 ficar agindo", resumiu o restaurador. Certo, mas o que isso tem a ver com comida? Bem, segundo o meu camarada, "essa tecnologia é muito segura, já bastante utilizada pela indústria alimentícia para afastar as pragas biológicas nos grandes galpões de supermercados multinacionais e fábricas de alimentos!". Me moderniza que eu tô barroco! Putz! E você aí catando alimentos orgânicos no supermercado, sem saber que a madrugada inteira o Cobalto60 pode estar dando uma ionizada básica no ambiente, hein? kkkkkkkkkk. Se afasta o rato e a barata, só posso concluir que...Morreremos todos. 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Dia 38/365

A CAMINHADA


A voluntária de hoje foi a super torcedora do Sport Club do Recife, jornalista e mãe, Luciana Veras - A Luli - que veio acompanhada de sua coisinha fofa e sorridente, a pequena Olívia, para uma manhã de caminhadas no nosso Central Park 13 de maio. Luli envergou o manto sagrado (a camisa do nosso time) e empurrou o carrinho da bebê por longos e prazerosos 6,73 km. Chamei a atenção para a roupinha vermelha e rosa da pequena, afinal, são as cores do nosso time rival (o Clube Capibaribe, dedicado aos esportes náuticos) - mas a mãe explicou que veste Olívia assim quando ela tem prisão de ventre, porque com essa roupa a menina faz cocô mais fácil. kkkkkkkkkkkkk!!!!
Falamos sobre assuntos amenos como política, religião e, principalmente, futebol. Luli sabe muito sobre o Sport (é capaz de escalar todas as seleções dos últimos anos, puxando pela memória) e, como sócia, cobra resultados com a propriedade de quem é um pouco dona do time. Enquanto isso, Olívia mexia as perninhas freneticamente, como se estivesse caminhando também. No finalzinho a linda bebê até cochilou um pouco, mas quando paramos para fazer a foto ela acordou e abriu o sorriso.
Atividade física concluída com sucesso! Valeu, Luli e Olívia!!!!


Nesse contra-luz todo mundo vira chinês


COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


A surpresa do café-da-manhã foi uma panelada de macaxeira cozida que a empregada havia preparado. É claro que não comi a panela inteira, mas até que tive essa vontade. Pense numa macaxeira molinha, parecia uma papa! No corre-corre para não me atrasar para o trabalho, troquei o ovo cozido pelo ovo frito numa ponta de faca de manteiga (uêpa!). Errei, não procurei esconder - todos viram. Ali onde eu errei qualquer um errava, mas dar a volta por cima (que eu dei) quero ver quem dava! Pois é, que culpa tenho eu se as letras das músicas cabem na minha realidade? kkkkkkkkkkk. 



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Macaxeira é a prima rica do inhame e do cará. Rica, nesse caso, em possibilidades - no preparo de iguarias salgadas ou doces que me dão água na boca só de pensar. Tanto pode ser a super vilã de uma dieta, por isso convém prudência e moderação no uso, quanto pode ser uma substituta eventual para um carboidrato necessário (afinal, como dizem os nutricionistas egípcios, temos que seguir a pirâmide, alimentar). Para ser vilã, basta fritá-la e jogar um queijinho ralado por cima (vixe Maria, salivei). Aqui em Pernambuco a iguaria frita muitas vezes substitui a batata, se o restaurante é do tipo "regional". O bolo de macaxeira é outra derivação terminantemente proibida, porque leva um quilo de manteiga e boa quantidade de leite de coco. Por isso, para quem vive no constante sacrifício da dieta, a macaxeira só deve ser ingerida em pequenas quantidades e sob a forma mais comum: cozida na água e sal. O ovo eu botei porque é bom, como já atestou a ciência. 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Dia 37/365

A CAMINHADA


Hoje tive a companhia de um grande voluntário: Felipe Amorim, 2.06 m de altura, psicólogo (eita!), meu primo (uêpa!!!) e atleta (bicha, bicha! kkkkkk brincadeira, Gigante!). Só mesmo uma lavagem cerebral persuasiva para me fazer levantar da cama às 5h15, depois de uma noite super animada com direito a show de Lulu Santos e duas doses de uísque. Voltei da farra perto das 2h da madrugada, mas cumpri minha missão de estar a postos, às 6h, na pista de cooper da Universidade Federal de Pernambuco. Antes da caminhada, Supila (apelido familiar) me hipnotizou para que eu acreditasse que meus pés não estavam doendo. Conversamos sobre vida acadêmica (ele foi nota 10 no TCC), escolhas profissionais (ele foi 1º lugar no concurso do TJPE) e o uso de fármacos por concurseiros para "aprimorar" os estudos (ele disse que jamais tomou sequer um guaraná do amazonas antes da prova, mas sabe que tem gente que turbina a concentração tomando remédios para tratamento de déficit de atenção - putz, que loucura!).
Atividade física concluída com sucesso! 5,3 km (de ressaca, vocês queriam o que?) na belíssima pista de cooper da UFPE. Valeu, Supila! você é mesmo um gigante!!!




COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?


Pela primeira vez nesta Dieta da Rede Social tive a oportunidade de tomar café-da-manhã na casa da minha querida Tia Marta - mais uma personagem da Família Bullying Feliz, que vem a ser mãe do nosso prezadíssimo grande voluntário de hoje. Tia Marta me tem amor de mãe, afinal, sou o Primeiro Sobrinho - nasci 12 anos antes de Supila, seu filho mais velho. Por isso ela me paparica muito: papinha de aveia com adoçante, frutas, ricota fresca, pão de centeio multigrãos, suquinho e cafuné. Delícia!




VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Longe de mim querer culpar os outros pelos meus maus hábitos alimentares, mas um bullying bem feito pode desencadear a mais perigosa válvula de escape de qualquer gordinho(a): comer por frustração - gerando aquele terrível ciclo vicioso do "eu como muito porque estou triste" e "estou triste porque eu como muito". E assim, num belo dia de verão, quando eu era estudante de jornalismo e morava sozinho com minha irmã mais nova numa casinha conjugada no bairro do Cordeiro, eis que finalmente consegui prender a atenção de uma vizinha que às vezes me dava bola. Ela, sentada no muro baixo da minha casa; e eu, abraçando-a por trás, cheio de boas intenções, contando minha história triste. De repente, avistei aquele Chevette dobrando a esquina... "Vixe Maria, é Tia Marta! ela vai estragar tudo!", pensei. Devo ter arregalado bastante os olhos, de surpresa, pois Tia Marta percebeu e passou direto, para me deixar à vontade. Mas, ao se distanciar uns 10 metros, parou o Chevette, abriu a janela e gritou: "DÁ-LHE GORDINHOOOOOOO!!!!!!! KKKKKKKKKKKK".
Foi a primeira grande vergonha (mas não a maior) que passei na minha vida, por causa dela. A vizinha não conseguiu mais parar de rir. Quebrado o clima, nos despedimos, entrei em casa e descontei na comida. 

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Dia 36/365

A CAMINHADA

Quero aproveitar a mega-farrapada daquele que seria o voluntário titular de hoje, Rodrigo Pires (fotógrafo e dorminhoco), para deixar um importante aviso sobre a logística desta caminhada solidária que compõe a essência da Dieta da Rede Social: eu não sou babá de marmanjo(a). Marcou comigo, pode ficar certo(a) que no horário combinado estarei lá. Agradeço imensamente aos que se dispõem a perder uma hora do seu ano para me ajudar neste projeto, de coração. Porém, durmo cedíssimo (ontem bati meu recorde, às 20h45!) para estar bem disposto nos primeiros raios da manhã - portanto, não telefono de véspera para saber se o voluntário está vivo, quebrou a perna ou pegou dengue (nesses casos, cabe ao amigo - ou parentes, em caso de morte - me avisar que no dia seguinte não será possível manter o combinado). 
Felizmente, tive a brilhante ideia de fazer o percurso no contra-fluxo, à procura de um voluntário-tampão. Mal caminhei 500 metros e dei de cara com a advogada Eleonora Duarte - uma jovem senhora que conheci no 21º dia, quando caminhava com meu camarada Glauco, falando alto (sou da capital mas tenho origens no interior) sobre este projeto. Naquele dia, ela e uma amiga deram total apoio à iniciativa, fazendo votos de que tudo ia dar certo. Pois é, graças ao destino, minha salvadora também estava sem companhia hoje (a amiga habitual também furou) e aí juntamos a fome com a vontade de andar.
Melhor do que a encomenda foi a visita-surpresa da equipe da TV Globo, para gravar a terceira e última seqüência de imagens e entrevistas antes de veicular a matéria sobre a Dieta da Rede Social. Massa!
Atividade física concluída com sucesso! 6,2 km em boa companhia, no Parque da Jaqueira. Valeu muito, Eleonora!!!! Beijo, Sabrina Rocha! kkkkkkk





COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Tio Hipocondríaco estava em casa hoje, e fez questão de conferir meu café-da-manhã in loco. Além das frutas habituais, ele teve a ideia de cozinhar um ovo para que eu comesse somente a clara - e ensaiou ficar furioso quando eu disse que ia comer o ovo inteiro, com duas torradinhas minúsculas. Me examinou de cima a baixo e disse, categoricamente, que esta dieta era muito da fajuta, pois a olho-nu eu devo ter emagrecido somente uns 4 quilos, "no máximo". É o bullying-construtivista que tanto conhecemos! Mhuahahahahaha!



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Minha querida Família Bullying Feliz, berço d'Os Insaciáveis, é composta basicamente por duas dinastias: os papa-ovos e os bebe-leite. Vou me ater hoje somente ao primeiro grupo. Nossa predileção pelo fruto da galinha (uêpa!!!! kkkkkk) nos acompanha desde a mais tenra infância ao último suspiro de vida (embora ninguém tenha morrido de velhice, ainda). Já vivi tempo suficiente para ver o ovo ser demonizado por todas as dietas com restrição de colesterol, endocrinologistas e cardiologistas; e também ser absolvido por todos os seus pecados por publicações científicas e especializadas em dietas, anos depois. Ou seja: o ovo era ruim, depois virou bom. Meu sonho é que isso aconteça com as pizzas e massas. Até lá, continuarei caminhando.