domingo, 25 de novembro de 2012

Dia 20/365

A CAMINHADA

A voluntária foi a empresária da comunicação Ana Cristina Lima, a Brava; que nas horas de extremo calor assume a identidade do seu alter ego, Hellen Quirino, a Brava Guerreira (sexóloga por indução). Hoje, gripada, deixou Hellen de cama e veio sozinha caminhar comigo no Parque da Jaqueira, Zona Norte do Recife. Conversamos sobre jornalismo, com o mote de Raul Seixas (o início, o fim e o meio), discutindo a má formação acadêmica atual, os desvirtuamentos dos coleguinhas para a vida criminosa e os meios de conseguir cair fora dessa profissão sem futuro. 

Por alguns momentos, minha acompanhante jogava uma moeda pra cima e, dando cara ou coroa, fazia um comentário como se Hellen estivesse conosco. Cismou com um coroa sorridente que corria no sentido contrário, tirando fino na gente (passando perto demais, traduzido do Pernambuquês). Ana podia jurar que ele era um psicopata; Hellen apostou na homossexualidade, dizendo que era de mim que o velho estava a fim. Ao final, 5 quilômetros percorridos e uma geladíssima água de coco. Atividade física concluída com sucesso.



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

 Se eu não gostasse de rotina, não estaria casado há treze anos. Por isso, pela manhã segui o esquema habitual de duas bananas e um potinho de iogurte, antes do exercício. No almoço, encarei uma alta gastronomia no clube V.I.P. que tem meu sogro como sócio: frango recheado com ricota, arroz de cenoura e purê de inhame (uêpa!). A saladinha levou falta, mas compensarei com frutas variadas no jantar.


VOCÊ NÃO SABE O QUE EU CAMINHEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


O clube V.I.P. do meu sogro é palco para encontros familiares da minha cara-metade desde que me entendo por dominado, lá nos idos de 1996, comecinho do namoro. Eu, particularmente, tenho uma impressão aquém da imagem vendida pelo estabelecimento, afinal, sempre associei a palavra "country" a cavalos e bois. O problema é que os encontros familiares sempre são muito fartos e, para piorar, os pratos do clube são muito saborosos. Tenho encarado as saladas, nas visitas esporádicas, mas hoje - por sugestão da esposa - papei o frango (só por causa do inhame). Mhuahahahahaha.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu incentivo por escrito