quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Dia 52/365

A CAMINHADA

Ainda traumatizado com o atraso de ontem, nesta quinta-feira cheguei pontualmente às 5h49 ao Parque da Jaqueira para encontrar a voluntária da vez: Rute Santos, designer de sobrancelhas(!), indicada por uma leitora assídua deste blog, chamada Helena Amaral (um dia chegará a sua vez!). 
Acostumada a correr, Rute impôs um ritmo acelerado, perfeito para intensificar meu metabolismo. Conversamos sobre a lucrativa indústria da beleza e os vários nichos de mercado para faturar em cima dela, como essa história de designer de sobrancelhas com atendimento em domicílio, que eu desconhecia completamente. Os assuntos co-relacionados como  escolhas saudáveis e a prática de exercício descambaram para as bombas químicas da indústria alimentícia, o  cobalto60 e os carcinomas malditos da vida moderna. Mesmo assim, vários assuntos engraçados permearam a caminhada - e posso garantir que hoje eu estava inspirado, pois a mulher gargalhou de chorar em alguns momentos. Tanto que esquecemos completamente a distância percorrida e acabamos andando 1 km a mais.
Atividade física concluída com sucesso! 7,02 km no Parque da Jaqueira. Obrigado, Rute!!!! Manda um abraço para Helena!!!

Peraí, deixa eu escovar meu bigode e secar a barriga...

Pronto, agora ficou tremida! kkkkkk


COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje a nossa empregada doméstica (por que "secretária do lar" se ela não anota meus recados nem organiza minhas contas?) facilitou a minha vida e preparou uma deliciosa papinha de aveia. Estou super disposto, depois disso.


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Saber lidar com uma frustração emocional talvez seja o maior desafio de qualquer dieta, pois a comida normalmente vinha ocupando durante toda a vida pregressa a função de válvula de escape para qualquer gordinho(a) que se preza (mas nem tanto). Ou seja, uma boa gordice (deliciar-se hipercaloricamente) supre com perfeição o psiquiatra, mas a um preço bem mais caro: a debilitação da nossa saúde. Quem nunca açucarou a boca para ajudar a engolir uma amargura, decepção ou derrota? Quem nunca chorou, comeu um Laça-leitão com bastante maionese e voltou a sorrir? kkkkkkkkkkkkk. Graças a Deus estou tão condicionado e comprometido com este meu projeto que não me deixei abalar pelo bullying pesado de ontem, capitaneado pelo Tio Hipocondríaco. Esse homem é tão competente na arte da bullynada que até interferiu nos rumos profissionais de uma Mente Brilhante da nossa família. Ainda bem que além de brilhante (rá!) eu sou meu próprio psicólogo(uia!), me amo e não posso mais viver sem mim. Em tempo: meu pai percebeu que foi manipulado por T.H, me pediu desculpas e já voltamos à ótima convivência. Amém!

Um comentário:

Deixe aqui seu incentivo por escrito