terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Dia 57/365

A CAMINHADA


Hoje mantive o horário tardio da caminhada (e consequentemente da postagem no blog), acompanhado pelo casal de advogados Thiago Rocha Leandro, o Ureba, Urêia ou simplesmente Alex Kid; e sua cara-metade, Carla, a altíssima (referencial que é o contraponto à voluntária de ontem, sua homônima). Ureba é meu primo de orelhas avantajadas, o que faz dele um ótimo ouvinte e uma boa companhia para quem quer compartilhar uma lamúria, segredo ou fofoca. Já Carla tem olhos grandes, o que faz dela uma excelente observadora. Assim, com ouvidos e olhos tão atentos, só me restou falar e falar e falar. Mhuahahahaha.
Até que foram poucos os papos do mundo jurídico. Ocupamo-nos basicamente pelas fofocas familiares da hora da virada, com críticas pontuais e gratuitas. kkkkkkkkk. Ureba, sempre calado, ouvindo mais do que falando, limitou-se a emitir o som da sua voz somente para atiçar o veneno alheio. Carla, uma lady, manteve a pose apesar do solo irregular e inclinado pela maré alta. Já no finalzinho do exercício, caí numa armadilha da natureza, atolando minha perna direita bruscamente num buraco camuflado pelo espelho d'água, que me levou imediatamente ao chão. Num sobressalto ninja, salvei o celular de uma certeira "perca total", como diz o povão na gíria do seguro. 
Atividade física concluída com sucesso!!!! 6,25 km em areia fofa, numa praia paradisíaca do litoral norte alagoano.


COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Gente, a farra gastronômica da "virada de ano" foi exatamente como eu pensei que seria: presentes à mesa o arroz de forno do Tio Hipocondríaco (receita da minha finada querida avó), o peru de Tia Marta (uêpa) e o pernil de preparo coletivo, fora a minha monumental farofa rica e um salpicão muito interessante. Como esta Dieta da Rede Social é a antítese da gastroplastia, optei por fazer uma escolha sensata, sem abrir mão do prazer (ao contrário dos pobres ex-gordinhos mutilados, que ficam tão traumatizados com a falta de espaço na barriga que passam meses mamando na lata de leite condensado, até o limite do seu novo estômago). Me servi de um singelo prato raso, em quantidade para um ser humano normal, com um pouco do arroz (uêpa!), do salpicão (Uêpa!!),  tender (Uêpa!!!) e da minha farofa (UÊPAAAA!!!!). Evitei as carnes mas foi um momento tão lindo e saboroso que quase chorei. Mas juro que resisti à paranóia bulímica e não acariciei meu pinguelinho da garganta (úvula, traduzindo do Pernambuquês) para provocar o vômito. De sobremesa, um estratégico bolo zero açúcar, que importei do Recife. Hoje, no café, só banana com um queijinho branco; no almoço, coração de galinha e queijo coalho na brasa; no jantar, macaxeira cozida e um ovo. 


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Hoje tive uma trágica revelação: aquela cozinheira da casa de praia, responsável pelo acertado apelido de "Os Insaciáveis" para definir todos os membros da Família Bullying Feliz, me fez uma confidência ao pé do fogão, pela manhã. A moça, que trabalha para o Tio Hipondríaco há uma década, cozinhando quitutes sucessivos, dessa vez comentou que "o povo está comendo menos este ano". Eu quis saber se ela tinha certeza e, diante da resposta de que ela nunca viu a comida sobrar", acabei percebendo que talvez seja EU, o responsável pela proeza. Afinal, a Dieta da Rede Social me força a comer como gente normal, sem a gula de outrora. Portanto, a conclusão que tirei é que o Insaciável sempre fui eu. Serááááá? 


Um comentário:

  1. Acho que não estamos comendo menos... o que aconteceu foi que eu e outros sete insaciáveis fizemos algumas refeições fora, e esquecemos de avisar nossa cozinheira para diminuir as fornadas.

    Outra coisa... coração de galinha é uma bomba calórica e colesterólica.

    Sprito

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu incentivo por escrito