sábado, 19 de janeiro de 2013

Dia 75/365

A CAMINHADA

Acho que o voluntário de hoje nem se lembrava que estava agendado, mas como era um convidado especial deste blogueiro que vos escreve, nesse caso a montanha foi até Maomé, sem problemas. E assim, encontrei meu querido amigo Robert Fabisak, o Bobby: fotógrafo formado em jornalismo, uma criatura tão pura e inocente que tem a peculiaridade de falar tudo no diminutivo. Para Bobby não existe tempo ruim (é, no máximo, ruinzinho) porque ele faz jus à semelhança com o crucificado que entoa a canção "Olhe Sempre Pro Lado Bom da Vida", no filme clássico de comédia inglesa 'Monty Pyton: A vida de Brian' ( uma paródia com a vida de Cristo). Por isso o mundo pela lente de Bobby é sempre bonzinho, bonitinho, legalzinho, humanozinho. Inclusive na correriazinha diária do jornalzinho onde ele faz seu trabalhinho cumprindo pautinhas.
Começamos nossa caminhada às 8h, com uma hora de atraso (mas passei meu protetor solar, hein!), a partir do lar de Bobby, nas imediações da Rua Mamanguape, em Boa Viagem, cruzando a Domingos Ferreira, Conselheiro Aguiar e Navegantes, até chegar à orla. Conversamos sobre educação dos filhos (ele também tem três!), saúde, bons hábitos, pouca comida, vida conjugal sexualmente ativa (tanto a dele quanto a minha!), família, trabalho e lazer. Quando regressamos à casa dele, fez questão de declarar à esposa (beijo, Ana Paula!) que estava em forma, aliás, "sempre em forma". Kkkkkkkk.
Atividade física concluída com sucesso! Uma "caminhadazinha" de 6,3 km na companhia do meu melhor amigo de todos os tempos. Valeu, Bobby!!!


COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Antes de ir ao encontro do meu voluntário de hoje, dei uma passadinha no lar do meu Tio Hipocondríaco, para contar umas novidades. Lá, tomei dois singelos copos de suco de goiaba, para desentalar a banana que comi às pressas, em casa. Depois da caminhadinha, já na casa de Bobby, fui agraciado por um suco de laranja feito à mão pelo meu anfitrião, e uma rodela de abacaxi. No almoço, um franguinho assado com ricota e espinafre, sob cama de arroz de cenoura e um purezinho de cará sem alho.

VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


Eu estou para um baobá assim como Bobby está para um graveto de bonsai. Mas, apesar da diferença estética, nossa afinidade desafia a lógica social. Posso garantir que a vida imitou a arte, pois somos tão ligados como o Gordo e o Magro - só que eu não o espanco. Em outros aspectos tambem somos antagônicos - eu, racional e flexível; ele, emocional e cabeça-dura. Nossa amizade vem desde 1993, quando entramos na mesma turma de jornalismo, na Universidade Capitalista Graças a Deus. Antes de encontrar seu caminho profissional junto à fotografia, Bobby fez o que pode para ganhar dinheiro e sustentar sua primeira filhinha, ainda no comecinho do curso: já foi professor de inglês, emissor de passagem aérea, vendedor de sanduíche natural, recepcionista de hotel - ou seja, um trabalhador super disposto, sem medo de ralar. Um dia, o destino acenou com um emprego de fotojornalista na Folha de Pernambuco e a partir daí ele só ascendeu, com prêmios e reconhecimento público. Tenho muito orgulho do meu melhor amigo. Sempre que tive um problema emocional, irracional ou psicossocial, pude contar com Bobby para me salvar. Nem que fosse só um conselho placebo, do tipo "Não se preocupe, vai dar uma melhoradinha!".

5 comentários:

  1. Post lindinho!

    Beijocas,

    Naidinha <3

    ResponderExcluir
  2. Não vou me cansar nunca de ler os seus posts....

    ResponderExcluir
  3. Com ajuda de hoje do Bobby e dos demais amigos e colegas você vai perder muito mais do que alguns quilinhos. Sucesso na dieta e muita saúde e paz para todos.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu incentivo por escrito