segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Dia 91/365

A CAMINHADA

Bendita seja a endorfina. Quando acordei na manhã de hoje, percebi que estava tecnicamente aleijado, por causa das fortes dores no pé. Mesmo assim, mancando como um dromedário ferido, tomei um banho gelado e depois calcei cuidadosamente o tênis. Na portaria do prédio, até o funcionário notou: "está mancando, Seu Marcus?". Pois é. Foi dessa forma que cheguei ao Parque da Jaqueira para encontrar a voluntária da vez: Vânia Brayner, jornalista e gestora (cultural, museal e etc e tal). E então, milagrosamente, a vida imitou a arte e acabei reproduzindo as cenas finais do filme "Os Suspeitos", quando o suposto deficiente físico começa a caminhar mancando e vai gradativamente ficando "curado". No meu caso, o mérito foi todo da endorfina - e funcionou tão bem que já a partir da segunda volta eu não sentia absolutamente mais nada. 
Eu e Vânia conversamos basicamente sobre as dietas da vida, compartilhando experiências como Crioterapia (bandagens), mesoterapia (injeçõezinhas), choques elétricos etc. Ela me orientou a procurar um nutricionista ou seguir a dieta dos Vigilantes do Peso. A conferir. Falamos ainda sobre filhos, homework, beleza pura, a pele escura, dinheiro não. 
Atividade física concluída com sucesso!!!!  Foram 6,95 km praticamente sem dores! Valeu demais, querida Vânia!!!!


O ferimento amanheceu bem melhor, graças à pomadinha Nebucetin (uÊpaaaa)

COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Ainda traumatizadíssimo com a minha recente péssima performance na balança, manquei até a cozinha para tentar normalizar a fauna, flora e todo o meu ecossistema intestinal. Tomei um iogurtezinho Actívia sabor ameixa, comi uma bananinha madura e fui caminhar. Na volta,  inhame e macaxeira se harmonizaram no meu prato, com uma pontinha de manteiga para untar os caminhos. Uma hora depois, lá estava eu, confortavelmente sentado na câmara acústica e finalmente passando um e-mail de Boston para Chicago, com cópia para minha amiga Cláudia Grinch, lá em Calgary, no Canadá. Se a pesagem fosse hoje, tenho certeza que a história teria sido outra. Mhuahahahahaha.


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Acho engraçado quando vejo as pessoas acreditando que minha força de vontade move montanhas. Eu sei que sou um pouco louco, por forçar a barra me expondo à violência noturna (que não houve) em Garanhuns, ou levando uma cacetada de torar o pé e mesmo assim insistir na caminhada no dia seguinte (hoje), mais parecendo um mangueboy (mancando de ladinho). 
Gente, não é questão de força de vontade, é apenas resignação. Ou auto-flagelação, se vocês preferirem. Estou agarrado a este projeto com unhas e dentes porque sei que na minha vida profissional, privada e social estou super estagnado (mas estagnado é bom, né? "estabilidade" é a palavra certa). Claro que amo minha família, adoro meu salário e gostaria de sair mais, porém, algumas coisas mantêm-se imóveis - e eu, como geminiano, adoro poder mudar. Então, para suprir a minha fome de aventuras e novas experiências, tomei a decisão de promover uma mudança em mim, pois eu também estava estagnado naquele corpitcho robusto dos 139,8 kg. Minha meta  é emagrecer e ganhar saúde, mas com a dose lúdica e diária de boas conversas com pessoas legais que me querem bem. Não é força de vontade. É ideia fixa (o meu maior defeito e a pior qualidade, como diz minha mulher). Mhuahahahaha.


3 comentários:

  1. Cuidado aí no carnaval pow! Abraços Ua,!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Mandrey, ideia fixa por compromisso com vc mesmo, com sua meta de emagrecer e ganhar saúde. Este é o seu "por quê". É ele q te faz perseverante. Quando buscamos uma mudança em nós mesmos e conseguimos realizá-la sentimos uma satisfação pessoal imensa!
    "Run Forest"!!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu incentivo por escrito