sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Dia 95/365

A CAMINHADA


Hoje o dia foi looongo, por isso só agora tive tempo de escrever. Aliás, a caminhada também atrasou,  configurando-se numa atividade vespertino-noturna, graças ao trânsito carnavalesco do Recife que travou minha mobilidade automotiva justamente quando eu mais precisava. E assim, uma hora depois do que acertamos, encontrei o voluntário do dia: Rodolfo Cabral - advogado, consultor, estudioso, bom marido, coração aberto, mente idem. Casado com a jornalista Mariana Martins, que farrapou comigo por motivo justo e compreensível, Rodolfo apareceu vestido com a camisa de seu time - o Capibaribe, dedicado inicialmente ao esporte Náutico (uêpa!) e posteriormente vocacionado ao futebol. Conversamos sobre seus hobbies passados, presentes e futuros (não necessariamente nessa ordem): concursos públicos, muito esforço diante dos livros, perseverança para concluir projetos, movimento estudantil e partidário, casamento e futebol. Amigo do meu primo Peçonha, Rodolfo me deu um ótimo mote para fortalecer uma tiração de onda recorrente que tenho dispensado àquele meu querido parente: "O 30 é o novo 20", disse, do alto da sua super sagacidade, quando perguntado se pretendia ter filhos logo ou esperar até depois dos 30. E assim, ele é mais um nessa corrente de pressão psicológica para que Peçonha pare de dar despesas aos pais e "pegue o beco" (desmame, traduzindo do pernambuquês infantil) agora que completa 30 primaveras, 30 verões, 30 outonos e 30 invernos sob a manta protetora da parasitagem consentida. 
Quando caminhamos cerca de dois quilômetros, eis que surge na minha frente um amigo de escola da época em que eu cursava a 8ª série (hoje, seria o 9º ano do Ensino Básico): Anderson ...?, atualmente professor. E aqui cabe um adendo para explicar a minha teoria da Revolta Quântica, que acomete sobretudo idosos e docentes - que agem com tolerância zero para com as injustiças salariais, as impunidades dos poderosos e políticos corruptos, o jeitinho brasileiro e a falta de oportunidade para entrar numa boquinha impune dessas (uêpaaaa!). Pois é, reencontrei o meu amigo sob o espírito de uma metralhadora cheia de mágoas, soando em alguns momentos como anti-patriota e um ardoroso crítico contra tudo e todos. Mas, passado o choque das lamúrias iniciais, nosso reencontro revelou-se divertido e cheio de piadas. Contamos várias. Foi massa!!!
Atividade física concluída com sucesso!!! Foram 7 km do Acaiaca até Brasília Teimosa. Valeu muitíssimo, Rodolfo e Anderson!



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Agora à noite recebemos a ilustre visita da minha querida Tia Marta, que veio dormir aqui em casa para "acordar cedo, no clima do Galo da Madrugada", já que minha morada fica no point para acompanhar o carnaval a uma distância segura. Ao me ver comendo um inhamezinho, Tia Marta perguntou se eu tenho quebrado a dieta. Neguei até a morte, claro.


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

A verdade é que apesar da minha aparência nórdica, eu sempre quis ser negão no Carnaval. #prontofalei. Foi por isso que, ao menor sinal da folia de momo, parti para um salão de beleza afro-brasileiro chamado "Anastácia", localizado no mesmo prédio do Cine São Luiz, onde entrei com meus cabelos esvoaçantes e saí batucando o Olodum. Tia Marta detestou, minha mulher detestou, os meninos perguntaram se era "reversível" e espero que meu sogro caia duro quando vir. Mhuahahahahaha!!!!!!

2 comentários:

Deixe aqui seu incentivo por escrito