quarta-feira, 27 de março de 2013

Dia 142/365

A CAMINHADA

Hoje caminhei com o engenheiro José Jayme, adepto da corrida mas que desceu até o meu nível de caminhante por uma grande consideração. Tive um problema logístico para chegar na Praça de Casa Forte no horário marcado, por isso dei um chá-de-cadeira de 20 minutos no meu novo amigo (que até então não me conhecia). Demos uma volta na praça e resolvemos mudar de paisagem, nos deslocando até o Sítio da Trindade, onde subimos a escadaria imensa que dá para a Estrada do Encanamento. A pista de cooper tortuosa da Trindade está mais para pista de montain bike, mas nossa conversa fluiu tão bem que o esforço maior do sobe-e-desce não incomodou. Jayme me falou da sua trajetória profissional, desde experiências no Vale do São Francisco, viabilizando a infra-estrutura da fruticultura irrigada, até projetos modernosos de shoppings centers aqui na capital. Depois falamos de viagens, um dos hobbies de Jayme, que elegeu a corrida como o primeiro deles, já há um bom tempo. Sugeri incluir o Peru (uêpaaa!) em suas futuras férias, por causa da saudável e deliciosa gastronomia daquele país. Casado com uma jornalista (saudações, Nívea! venha caminhar também!), foi dela uma frase que ele repetiu para definir que "jornalista não fica desempregado, vira freelancer". Adorei, pois a minha esposa é freelancer. Se alguém estiver precisando, fica a dica! Mhuahahahahhaha!!! No final, Jayme me presenteou com um Daruma, que eu vou usar do jeitinho como manda a tradição japonesa, escrevendo minha meta e pintando um olho, para no dia que atingi-la, pintar o outro olho. 
Atividade física concluída com sucesso!!!!! Foram 6,1 km em excelente companhia!!! Valeu demais, José Jayme!




COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Hoje eu comi uma maçã, a caminho do parque. Na volta, tomei um iogurte de laranja, cenoura e mel. No lanchinho da manhã, duas micro-barrinhas de cereais Trio Zero Açúcar. 


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Hoje teremos uma excursão para Nova Jerusalém, com colegas de trabalho e parentes de colegas. Só da minha família estou levando 11. Na bagagem, vinho, sanduíche natural, sanduíches de queijo para as crianças e muita fé. Só assim para irmos todos à missa, ainda que seja uma liturgia cênica - mas os dogmas são os mesmos, por isso sempre me benzo. kkkkkkkkkkkkkkkk




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu incentivo por escrito