segunda-feira, 1 de abril de 2013

Dia 147/365

A CAMINHADA


Como hoje é o dia da mentira, optei por não marcar nenhum agendamento para não correr o risco de levar um bolo e o(a) voluntário(a) se sair com a velha desculpa do "1º de Abril!". Então, saí de casa rumo ao Parque 13 de Maio disposto a convocar a primeira pessoa que cruzasse o meu caminho na pista de cooper. E lá estava ele, mantendo o hábito de 20 anos de caminhada: Edmilson, o Guarda Municipal. Sempre que está "de serviço", começa o dia às 6h caminhando 10 km e só depois veste a farda para dar expediente até às 18h30. Eu estava tão habituado a vê-lo caminhando no 13 de Maio que achava que ele era meu vizinho lá na Aurora. E foi assim que o abordei: "o senhor está caminhando há uns cinco anos, né?" e ele me corrigiu acrescentando mais 15. E assim, começamos a conversar sobre filhos, netos e bisnetos (ele tem 65 anos mas começou cedo), casa de praia, almoço de Páscoa e festas em família. Edmilson me deu uma dica valiosa para perder a barriga (como se isso ainda fosse possível na minha condição. Mhuahahahahah!): natação noturna. Segundo o meu novo amigo, bastam algumas braçadas regulares para deixar a barriga chapada. A conferir. 
No finalzinho, cometi uma gafe básica, pra variar: Me despedi do amigo e pedi para que posasse ao meu lado para uma foto, já que este projeto da Dieta da Rede Social precisa ter um registro diário. Então, apontei para a guarita do parque e disse-lhe: "a gente pede ao vigilante para tirar a nossa foto", ao que ele rapidamente me corrigiu: "vigilante não, guarda!". Mhuahahahahhahaha!!!
Atividade física concluída com sucesso!!! Foram 6,81 km em ótima companhia!!! Valeu demais, Seu Edmilson! 





COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Acabou a banana! Assim, para ter a disposição necessária encarei um danoninho sabor banana (uêpaaaaa!!!!). Na volta, café-com-leite e sanduíche de queijo no pão de centeio. Péssimo começo de segunda-feira, mas o que importa é que caminhei bem. :p



VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...


E chegamos ao fundo do poço outra vez, lá no prédio onde moro. Por causa da escassez d'água da Compesa, os administradores do condomínio decidiram religar o poço artesiano - desativado desde 2010, quando já apresentava odor desagradável e irritação na pele (à época, uma vizinha pegou um estafilococos e meu sogro uma quizila brotoeja horrível). Sob a justificativa de que os carros-pipa não estão dando vencimento a tantas demandas da Região Metropolitana do Recife, resolveram religar o poço "provisoriamente", tomando apenas o cuidado de clorar a água. Ao juntar uma boa quantidade na noite anterior, percebemos esta manhã que a água continua amarelada, opaca e mal-cheirosa. Acho que para a maioria é melhor ter água do Rio Capibaribe na torneira do que não ter nenhuma. Uma vizinha que se identificou como técnica sanitária atestou a boa qualidade da água, no olhômetro. Resta-nos apenas rezar para que nenhum inocente adoeça, sobretudo as crianças e idosos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu incentivo por escrito