terça-feira, 9 de abril de 2013

Dia 155/365

A CAMINHADA

Hoje conheci um senhor muito, muito, muito bacana: Seu Válter, aposentado da Marinha Mercante do Brasil, frequentador assíduo do Parque 13 de Maio - onde cumprimenta "pelo nome" vários outros caminhantes, além de funcionários e vigilantes (e se brincar, sabe até o dos bichos). Seu Válter é a cordialidade em pessoa, sempre com o sorrisão aberto e o coração desarmado - e foi nessa brecha que eu puxei assunto e fui muito bem acolhido numa caminhada massa! Conversamos basicamente sobre vida saudável, pois há alguns anos meu novo amigo escapou da morte numa internação de uma semana por causa de uma pancreatite gravíssima. Desde então, não faz nem gargarejo com enxaguante bucal, para não ter contato novamente com o álcool. Me falou que certamente o que lhe salvou a vida foi a caminhada freqüente que sempre praticou, por isso mantém o hábito até hoje, "mesmo que chova". Parar de beber não foi nenhum sacrifício pra ele, que ainda curte a vida ao lado da esposa, saindo para dançar toda semana no Clube das Pás. "Nas farras eu brinco, sirvo as pessoas, mas não tomo uma gota de álcool e estou ótimo assim", ensinou. Falamos também sobre o Rio de Janeiro (onde ele já morou) e o sol escaldante da cidade maravilhosa, "capaz de fazer um negro despelar". Foi tão legal nosso papo que num instante acabou-se a caminhada. Ao final, o conselho do velho marinheiro: "nunca pare de caminhar, mesmo que você atinja seu objetivo!" 
Atividade física concluída com sucesso!!!! Foram 6,5 km em excelente companhia!!!!! Valeu demais, Seu Válter!!!!!

  



COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Em vez da fruta banana, comi uma barrinha de cereal sabor aveia, banana e mel, antes da caminhada. Depois, uma fatia de pãozinho multigrãos com manteiga Turvo (Uêpaaa!!!) e outra com creme de ricota. Café-com-leite para desentalar. No almoço, dois bifinhos de carne acebolada e cinco corações de galinha na chapa, acompanhados por salada de repolho, couve e alface, um pouquinho de arroz branco, uma concha de feijão verde e uma colher pequena de purê de batata (uêpa!).


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Hoje tive a grata surpresa de perceber que estão contados os meus dias de convivência com o meu cinto Anaconda (que apresentei aqui no blog no Dia 86 e exibi sua foto, a pedidos, no Dia 87). E pensar que eu quase deixei de usá-lo pelo motivo oposto - quando ele já me apertava a barriga no último furinho, no auge da minha vida bandida. Agora, cheguei finalmente ao primeiro furo do cinto - e, pela primeira vez, fora da balança, vislumbro alcançar realmente a meta desta Dieta da Rede Social. :)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu incentivo por escrito