sábado, 15 de junho de 2013

Dia 222/365

A CAMINHADA

Hoje eu cheguei no Parque da Jaqueira às 20h, com uma instigação tão grande para caminhar que preferi não intimar logo de cara um dos nove caminhantes e dois corredores que dividiam a pista de cooper comigo. Em vez disso, eu quis "dar um esquente" por duas ou três voltas, sozinho, no sentido contrário ao fluxo habitual dos freqüentadores do parque (eles andam contra o relógio e eu estou sempre a favor do sentido horário), para aproveitar aquela vontade enorme de queimar calorias. Inaugurando uma nova seleção de mp3, fui intensificando a passada até atingir um ritmo intenso e confortável, no qual permaneci durante praticamente duas horas, em "velocidade de cruzeiro". Gostei muito da caminhada de hoje e penso que a instigação extra ordinária se deu ainda por causa do estresse com o carro quebrado e o preço das peças. Além de ficar dias sem meu possante, ainda perdi o chá de bebê de uma grande amiga, pois deixei as fraldas no porta-malas do carro (que está numa oficina tão tão distante...) e não tive coragem de aparecer de mãos vazias. O jeito foi descontar as contrariedades no exercício físico - e deu certo. A cada volta no parque eu ia me sentindo cada vez mais disposto, escutando bandas que fizeram (e fazem) minha cabeça nos anos 1990, a exemplo de Guns 'n Roses, Nirvana e Queen. E assim, como nenhum dos freqüentadores do parque poderia acompanhar meu pique, optei pela zona de conforto e fiquei curtindo minha endorfina sozinho. Atividade física concluída com sucesso!!! Foram 12 km para coroar esta 222ª caminhada!!! Massa demais!!!


Boca aberta e foto tremida: velocidade máxima! Kkkkkkkkk


COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Essa dieta tá rolando na maior maciota! Hoje almocei uma comidinha super saudável, com galinha, arroz de cenoura, saladinha, purê de batata e feijão verde. Suco de maracujá para desentalar. No lanche da tarde, salada de frutas. À noite, patê de atum com requeijão light e limão. Três taças de vinho para dormir melhor. Kkkk.


VOCÊNÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Uma das voluntárias recentes chegou a comentar comigo sobre o risco de lesão entre os atletas que malham com fones de ouvido tocando suas músicas preferidas. Segundo a expert, a música faz com que percamos a noção do esforço, fazendo com que o risco de lesões seja potencializado. É claro que somente agora me lembrei disso. Mas estou bem!  Mhuahahaha!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu incentivo por escrito