quinta-feira, 4 de julho de 2013

Dia 241/365

A CAMINHADA


Ainda ontem tive a prudência de desmarcar a caminhada desta madrugada manhã com o voluntário agendado, para não correr o risco de dar-lhe um bolo, afinal, com aquela noite não-dormida no hospital, acompanhando meu primogênito, eu corria sério risco de não estar de pé às 5h15. E assim, desobrigado do compromisso, dormi como um bebê urso até às 7h30 e acordei quase plenamente revigorado. Como estamos no terceiro dia seguido de greve de motoristas de ônibus, me programei para voltar a pé, igualzinho a ontem. E assim, com uma pequena modificação no itinerário, segui pela 17 de Agosto até o parque da Jaqueira, depois peguei a avenida Rosa e Silva até a Rua Amélia, em seguida cruzei a Agamenon e saí pela Fernandes Vieira, Soledade, Conde da Boa Vista, Rua do Hospício, Riachuelo, parque 13 de Maio e Rua da Aurora. E cheguei a tempo de salvar a família, que se encontrava do lado de fora do apartamento porque minha mulher não conseguiu abrir a porta. Com meu jeitinho de ladrão brasileiro, virei a chave suavemente e falei "Abre-te, Sésamo". Mhuahahahaha!!!! Atividade física concluída com sucesso!!! Foram 10,8 km na companhia do Menino Jesus, vendo milhares de motoristas de carros parados no trânsito.





COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO?

Com a escassez de pão multigrãos no mercado (da esquina), e tendo perdido uma panela de inhame cozido e não guardado na geladeira, eis que me vi diante de umas bolachas cream cracker "integrais". Sacrifiquei quatro, com requeijão. No almoço, optei por uma deliciosa tilápia grelhada com arroz de frutos do mar, em ótima companhia e no Precinho Zé Araújo. À tarde o cara da salada de frutas não apareceu. Para o jantar, inovei: penne com molho de atum e cenoura. 


VOCÊ NÃO SABE OS PASSOS QUE DEI PRA CHEGAR ATÉ AQUI...

Apesar de Recife ser uma cidade fedorenta calorenta, nos últimos dias a chuva tem marcado presença. Ontem, fiquei tão molhado que a pesagem fora comprometida. Hoje, esqueci meu guarda-chuva e presenciei um dèjavu temporal, vendo a chuva cair no mesmo bat local, na hora da minha caminhada. Por sorte as arvores frondosas do bairro do Espinheiro salvaram a minha lavoura. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu incentivo por escrito